Reoneração da folha de pagamento entra em regime de urgência no Senado

Reoneração da folha de pagamento entra em regime de urgência no Senado

A pauta de votações do Plenário do Senado para a semana de 10 a 14 de agosto tem como prioridade o projeto (PLC 57/2015) que retira a Reoneração da folha de pagamento entra em regime de urgência no Senadodesoneração da folha de pagamento de 56 setores produtivos. A proposta entrou em regime de urgência, passando a encabeçar a pauta, e precisa ser votada antes de qualquer outra matéria.
Com a mudança proposta pelo Executivo, setores que hoje pagam de contribuição previdenciária 1% sobre a folha salarial terão aumento para 2,5% – caso de varejistas, fabricantes de brinquedos e outros setores. Já os que atualmente pagam 2%, como empresas de tecnologia de informação, passarão a pagar 4,5%. Entidades de TI se mobilizam e se unem – inclusive com sindicato dos trabalhadores – para tentar reverter o processo, que poderá extinguir, segundo essas entidades – Brasscom, ABES, Assespro – 150 mil empregos no curto prazo.
O texto aprovado pela Câmara dos Deputados concede benefícios para alguns setores. Empresas das áreas de telemarketing, calçados, transportes e de alimentos como pão, aves, suínos e peixes pagarão menos impostos que o inicialmente previsto no projeto.
O projeto faz parte do pacote de ajuste fiscal do governo, que teve, após muita polêmica, sua votação concluída na Câmara em 25 de junho. A oposição votou contra o projeto, por considerar que o aumento de tributos prejudica a recuperação da economia e provoca desemprego. Entenda o processo da reoneração da folha de pagamento.

Fonte: Convergência Digital